; CNS debate Febre Amarela com Ministro da Saúde - Fenafar

CNS debate Febre Amarela com Ministro da Saúde

Saúde

Durante a 301ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Saúde (CNS), nesta terça-feira (30/1), em Brasília, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, apresentou dados sobre a situação da epidemia. Segundo informações do Ministério, de julho de 2017 a 23 de janeiro deste ano foram diagnosticados 130 casos de febre amarela em todo o país e confirmados 53 óbitos nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal. 

Os conselheiros nacionais de saúde trouxeram o tema para discussão diante da crescente procura pela vacina em todo o país. O MS reforça que as áreas determinadas para vacinação continuam as mesmas e que as medidas de prevenção, como intensificação de vacinação e fracionamento de doses, também continuarão sendo realizadas e atualizadas conforme as necessidades.

O ministro da saúde citou ainda os quatro casos recentes de mortes em decorrência da vacina, divulgadas pela imprensa. “Não estamos vacinando pessoas que estão fora da área de risco. Existe um risco de reação à vacina e por isso não se vacina todo mundo. Este é o protocolo da Organização Mundial de Saúde”, afirmou o ministro ao destacar a importância do combate à desinformação.

Vacinação e dados sobre óbitos

O conselheiro nacional de saúde e representante do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes), Heleno Rodrigues Correa Filho, solicitou um boletim com estes casos específicos e destacou que as informações publicadas no site do Ministério da Saúde, em 2008 – atribuindo 9 mortes à vacina da febre amarela na campanha realizada naquele período – não estão mais disponíveis. “É preciso informação técnica adequada sobre essas supostas mortes, em decorrência da vacina, porque isso tem alardeado a população”, conclui.

Leia também: Carta Aberta Abrasco sobre a Febre Amarela no Brasil

De acordo com a representante do Ministério da Saúde Carla Domingues estes casos ainda estão todos sob investigação e a mídia está se antevendo a divulgação de casos suspeitos. “Todos serão devidamente investigados para que possamos avaliar se há associação causal ou apenas uma associação temporal”, afirmou. “Mesmo ocorrendo esse número que a mídia aponta, ainda temos incidência muito abaixo do esperado”, completa ao se comprometer a disponibilizar o boletim com essas informações o mais rápido possível.

Uma ampola da vacina contra a febre amarela tem 5 doses e pode vacinar até 25 pessoas. Após aberta, a ampola perde o efeito em 6 horas. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 95% de 23,8 milhões de pessoas nos estados de SP, RJ e BA, sendo que na Bahia a campanha começa no dia 19 de fevereiro.

1ª CNVS

O CNS vai intensificar o debate durante a 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde (CNVS) que será realizada de 27 de fevereiro a 1º de março, em Brasília. O objetivo do evento é a implantação da Política Nacional de Vigilância em Saúde e a integração entre as vigilâncias epidemiológicas, sanitária, de saúde ambiental e de saúde do trabalhador.

Fonte: SUSConecta
Publicado em 31/01/2018

Artigos

UA-480112034-1