; Novo ministro da Saúde defende diálogo em sua gestão

Sidebar

Magazine menu

15
Sáb, Ago
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 43

Quarta, 07 Outubro 2015 03:00

Novo ministro da Saúde defende diálogo em sua gestão

Avalie este item
(0 votos)


Tomou posse na manhã desta terça-feira (6), em Brasília, o ministro da Saúde Marcelo Castro (PMDB-PI). O novo ministro disse que é importante dar voz aos estados e municípios. “Penso que o SUS é fruto do comprometimento de cada conselheiro, gestor estadual e municipal, por isso, convido o Conselho Nacional de Saúde (CNS), Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) para um trabalho em conjunto”, disse.

 

Marcelo Castro afirmou que comprometimento é a palavra chave do sucesso. “Quero aqui me comprometer com o governo da presidenta Dilma Rousseff, com a sociedade brasileira, com os serviços públicos de saúde, de que todos os meus esforços serão para que o SUS possa superar suas dificuldades, para se fortalecer a cada dia, a cada ano, como política de bem-estar, cidadania e justiça social”, destacou.

 

O novo ministro destacou a Saúde como o maior exercício de cidadania. “O SUS é a maior política pública brasileira. Peço o apoio de todos, pois política de saúde se faz com diálogo, compartilhamento, diretrizes claras e determinação”, afirmou.

 

Sobre o subfinanciamento, o novo ministro assegurou que vai discutir com a sociedade maneiras de como arcar com os custos da saúde e formas de melhorar o combate ao desperdício e o aumento das receitas. Para ele, estados e municípios estão comprometendo com a saúde valor muito acima do mínimo legal exigido de suas receitas e é preciso criar fontes permanentes para o financiamento da saúde, para garantir a oferta e aprimorar os serviços. “Nada faremos sem diálogo aberto e franco, mas a minha proposta será de criar novas fontes para o financiamento da saúde”, afirmou.

 

O ex-ministro Arthur Chioro destacou o compromisso assumido, quando da sua posse, em ser entusiasta e defensor do programa Mais Médicos, na ampliação e qualificação da infraestrutura da rede de saúde, e em ampliar vagas na Medicina e garantir vagas nas residências médicas em áreas importantes e necessárias. Ressaltou o esforço na formulação e pactuacao da Saúde pública brasileira nos 20 meses em que esteve à frente da pasta. “Minha trajetória profissional como médico, gestor público e professor sempre esteve ligada à política da Saúde”, afirmou, defendendo o Sistema Único de Saúde (SUS) como símbolo da democracia brasileira.

 

Estiveram presentes ainda na solenidade a presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Maria do Socorro, os ex-ministros da Saúde, Alexandre Padilha, José Gomes Temporão, Humberto Costa, Agenor Saraiva. Representantes da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) e Organização Mundial de Saúde (OMS), Joaquim Molina e da Unicef, Gary Stahl, governadores, prefeitos e entre outras autoridades.

 

Fonte: CNS
Publicado em 07/10/2015