; Artigo: Exames regulares reduzem mortalidade por câncer de mama, por Soraya Amorim

Sidebar

Magazine menu

10
Sex, Abr
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 43

Quarta, 07 Outubro 2015 03:00

Artigo: Exames regulares reduzem mortalidade por câncer de mama, por Soraya Amorim

Avalie este item
(0 votos)

 

Cerca de um milhão de casos de câncer de mama são detectados a cada ano no Brasil, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). Neste mês, o Outubro Rosa, em que as campanhas se intensificam o alerta vai para o diagnóstico, que se feito ainda no início salva 95% das vitimas da doença. Em muitos casos, os sintomas só aparecem quando o câncer está avançado, o que é alarmante nessa estatística. Isso porque, em estágios avançados as chances de cura são bem menores e a progressão da doença é devastadora.

 

Soraya Amorim, Diretora de Mulheres da FenafarAtualmente, no Brasil, são descobertos cerca de cinco vítimas por hora,134 novos casos por dia, aproximadamente um milhão de casos ao ano. Esses números evidenciam um grave problema de saúde, especialmente para a mulher, que lidera os rankings dessa doença perigosa e, muitas vezes, silenciosa. Nesse sentido, a prevenção, como para muitas doenças, é a melhor aliada sempre. Entretanto, por questões genéticas e outros fatores biológicos, a doença é inevitável.

 

É nesse momento que a realização do exame regular da mama contribui para que a doença seja freada. Isso porque, ao ser detectado ainda no início, o câncer tem grande possibilidade de ser vencido, pois cerca de 95% dos casos são revertidos. O exame precisa ser feito a partir dos 40 anos, e em caso de suspeita de nódulo nos seios e proximidades, assim que percebido.

 

Novos casos

 

Segundo previsão do Instituto Nacional de Câncer, o Inca, este ano devem surgir 49 mil casos no país. E para combater os efeitos danosos da doença, assim como para diminuir a elevada mortalidade causada por este tipo de câncer é preciso que haja mais promoção de saúde por meio da conscientização da população e programas que estimulem a mulher, e o homem também, a buscar auxílio de profissional de saúde e realização de exames.

 

Em geral, esse tipo de checkup é realizado anualmente, o que não toma muito o tempo dessa geração acelerada. É bom nunca esquecer que o maior bem que se pode ter é a saúde, apesar dela ser tão preterida em épocas de grande atividade diária, de trabalho, concorrências, família e interação tecnológica permanente.

 

Isso chama atenção para outro alerta: internet não diagnostica doenças, quem o faz são os profissionais de saúde, capacitados para isso e que, com auxilio e avanço da tecnologia atuam para curar e tratar doenças.

 

Então, para começar este mês, e seguir os demais, uma dica necessária, fundamental para que se reduza a grave estatística do câncer de mama, a mamografia é imprescindível e não pode ser substituída pelo auto-exame, pelo toque, embora este método também tenha sua importância. Na dúvida, faça os dois com frequência a partir dos 40 anos ou por aconselhamento médico. Prevenir sempre será o melhor caminho.

 

Soraya Amorim é Diretora de Mulheres da Federação Nacional dos Farmacêuticos

Lido 1831 vezes Última modificação em Quinta, 15 Outubro 2015 15:42