; Diretoria aprova nota de repúdio por substituição ilegal de farmacêutico

Sidebar

Magazine menu

20
Sex, Set
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 43

Segunda, 09 Novembro 2015 21:09

Diretoria aprova nota de repúdio por substituição ilegal de farmacêutico

Avalie este item
(0 votos)

Fenafar, Sinfarpe e CRF-PE divulgam nota de repúdio pela substituição de profissional farmacêutico por pessoa leiga para gerência da DGAF.

O Conselho Regional de Farmácia do Estado de Pernambuco (CRF-PE) e o Sindicato dos Farmacêuticos de Pernambuco (SINFARPE) e a Federação Nacional dos Farmacêuticos repudiam, de forma veemente, a exoneração do colega EDUARDO JOSÉ CARDOSO, do cargo de Gerente Geral de Assistência Farmacêutica do Estado de Pernambuco e sua substituição por profissional de área completamente alheia ao medicamento.

 

A medida, anunciada nesta quarta-feira (dia 04/11), sem que se apresentasse a justificativa convincente, é um desrespeito à legislação vigente, consolidada pela Resolução nº578/2013, do Conselho Federal de Farmácia, que em seu artigo 3º preconiza que “O farmacêutico deve ser o responsável pela coordenação das atividades técnico-gerenciais que lhe são inerente e desenvolvidas na gestão da assistência farmacêutica no âmbito do serviço público.

 

Trata-se, pois, de uma demonstração clara do desprestígio dispensado aos profissionais farmacêuticos pernambucanos por parte da Secretaria de Saúde, posto que delega uma atividade que é privativa deste profissional, para outro que não detém o conhecimento técnico e científico necessário.

 

A ação atinge não somente a categoria farmacêutica, mas, também, a população pernambucana, que ficará ainda mais desassistida em consequência de um modelo perverso de Assistência Farmacêutica hoje implantado em nosso Estado, marcado pela falta de medicamentos, pela falta de pessoal, pela falta de estrutura e pela privatização.

 

Essa ação, por parte do Secretário de Saúde, vem se somar às incontáveis que balizam a política de saúde vigente em Pernambuco, caracterizada pelo desrespeito às instâncias de controle social, pela não convocação dos servidores concursados, pela precarização do trabalho, pela terceirização e pela transferência da responsabilidade pública para a iniciativa privada, com claro prejuízo à população.

 

O Conselho Regional de Farmácia e o Sindicato dos Farmacêuticos de Pernambuco, no cumprimento de suas prerrogativas, buscarão todos os meios para a reparação do dano à profissão e para que o Estado cumpra de fato o seu papel na prestação de uma assistência farmacêutica plena à população.

 

CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DE PERNAMBUCO
SINDICATO DOS FARMACÊUTICOS DE PERNAMBUCO
FEDERAÇÃO NACIONAL DOS FARMACÊUTICOS