; Dilma defende o SUS na 15ª Conferência Nacional de Saúde

Sidebar

Magazine menu

20
Sex, Set
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 43

Segunda, 07 Dezembro 2015 02:00

Dilma defende o SUS na 15ª Conferência Nacional de Saúde

Avalie este item
(0 votos)


Na abertura da plenária final da 15ª Conferência Nacional de Saúde, na Manhã desta sexta-feira (04/12), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Estavam presentes a presidenta do CNS, Socorro Souza, e os conselheiros Ronald Santos e Geordeci Souza. A plateia foi tomada pelo clima de defesa da democracia, “pela saúde da democracia e contra o golpe” dizia a presidente.

 

Socorro de Souza abriu os trabalhos falando da importância que tem a conquista democrática do povo ao garantir constitucionalmente o direito à saúde para todo cidadão brasileiro. “A centralidade da defesa do Sistema Único de Saúde-SUS é defender a democracia brasileira”, afirma.

 

Dilma Rousseff foi recepcionada pelo presidente da Fenafar, Ronald Ferreira dos Santos e pela presidenta do CNS, Socorro Souza. Eles a levaram até o palco do auditório Ulysses Guimarães, onde foi recebida com aplausos e gritos de “não vai ter golpe”. Ela estava acompanhada do ministro da Casa Civil, Jacques Wagner e o da Saúde, Marcelo Castro. (assista ao vídeo https://www.facebook.com/marco.pereira.12177/videos/10153817186864532/)

 

A presidenta iniciou sua fala agradecendo aos presentes pela recepção, “vocês não imaginam como isso que vocês estão fazendo faz bem para a alma da gente”, diz. Durante seu discurso Dilma

 

“Quando a gente olha para o SUS, a gente sabe que há conquista. Temos que valorizar o SUS todo dia, 24 horas por dia. E isso significa garantir vacinas, transplantes, vigilância sanitária e epidemiológica, tratamento das pessoas com deficiência, medicamentos gratuitos ou com desconto. Tudo isso é a complexa articulação de pessoas que garantem o SUS, e que mudam para melhor a vida dos brasileiros”, defendeu a presidenta Dilma Rousseff, diante de 6,5 mil participantes da 15ª Conferência Nacional de Saúde que lotaram o Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília (DF), nesta sexta-feira (04).

 

“Estamos juntos nessa luta, que vai nos exigir muito diálogo e trabalho. Até 2018, eu e meu governo seremos incansáveis na tarefa de construir saúde de qualidade para cuidar bem dos brasileiros”, garantiu a presidenta, acompanhada pelos ministros da Saúde, Marcelo Castro, e da Casa Civil, Jaques Wagner.

 

Ao falar sobre a epidemia de vírus Zika, Dilma anunciou que o governo federal está mobilizando agentes de saúde, da Defesa Civil, do Exército, da Marinha e da Aeronáutica em todo o país, e que neste sábado (5) será lançado em Pernambuco um plano de ação para estancar o aumento de casos de microcefalia no Brasil.

 

“Nós vamos usar de todos os elementos, desde essa prevenção até o uso de tecnologia para propor, para procurar vacinas que sejam comercializáveis para tratar de outra forma a erradicação do vetor”.

 

A presidenta citou conquistas do SUS ao longo da história das conferências nacionais de saúde, e lembrou a origem do programa Mais Médicos.

 

“Quatro anos atrás, entre as diretrizes aprovadas na 14ª Conferência, estava a necessidade de fortalecer a atenção básica. Nós escutamos essa reivindicação justa, que era garantir a base e a estabilidade do SUS. Avançamos muito, construímos uma rede bem mais estruturada. Construímos novos postos de saúde, melhoramos e reformamos os existentes, fortalecemos o SAMU e criamos as farmácias populares. Mas eu quero dizer para vocês que a maior vitória da atenção básica no nosso País foi o programa Mais Médicos. Eu me orgulho muito do Mais Médicos”, disse Dilma.

 

Ao final, a Presidenta cumprimentou os delegados que se amontoavam à frente do palco para tentar algum contato com Dilma.