; Entidades convocam brasileiros a lutarem contra o golpe no dia 16

Sidebar

Magazine menu

19
Qui, Set
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 43

Quarta, 09 Dezembro 2015 02:00

Entidades convocam brasileiros a lutarem contra o golpe no dia 16

Avalie este item
(0 votos)


Dia 16 de dezembro, acontecerão atos em todo o Brasil contra o pedido de impeachtment, convocados por várias organizações da sociedade entre as quais a CTB,  a CUT, o MST, o MTST, a UNE, entidades do movimento de mulheres, movimento negro, LGBT e outras.

 

 

Em seu 8º Congresso, a Fenafar aprovou resolução em que se posicionada contra o impeachtment e a tentativa de golpe no Brasil. A resolução do congresso da Fenafar diz: "Defender intransigentemente a democracia e a soberania do voto popular, repudiando tentativas de setores da sociedade, apoiados pela grande mídia, que querem impor o impeachment ao mandato da presidenta Dilma". Neste sentido, a Federação se soma às várias organizações que se articulam em torno da Frente Brasil Popular, no repúdio à abertura do processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff.

 

Em nota divulga nesta segunda-feira, as entidades convocam o povo brasileiro para uma grande mobilização contra a tentativa de golpe orquestrada pela direita marcada para o dia 16. 

 

NÃO VAI TER GOLPE!

 

Os setores golpistas da direita através de um grupo de parlamentares, liderados pelo deputado Eduardo Cunha, querem o impeachment da Presidenta da República.

 

A maioria do povo brasileiro, através das centrais sindicais, dos movimentos populares, dos estudantes, das organizações de juventude, mulheres, negros, LGBT, indígenas, das pastorais das igrejas, da intelectualidade democrática, bem como através da opinião de cada cidadão e cidadã, está se pronunciando contra o impeachment. Somam-se amplos setores democráticos da sociedade civil, do mundo religioso, jurídico, intelectual e cultural do país.

 

Somos contra o impeachment, porque sobre a presidenta Dilma Rousseff não paira nenhuma acusação ou suspeita de crime, desonestidade ou ilegalidade. Não há qualquer fato ou decisão da presidenta, que possa ser considerado crime de responsabilidade. E sem crime de responsabilidade, não existe motivo para o impeachment.

 

Somos contra o impeachment, porque pretendem afastar a presidenta Dilma para revogar as conquistas e os direitos do povo brasileiro, para destruir e privatizar a Petrobrás, para submeter o Brasil aos interesses imperialistas.

 

Somos contrários ao impeachment, porque sabemos das motivações criminosas do deputado Eduardo Cunha. Dono de contas bancárias na Suíça, onde estão depositados vários milhões de reais, dinheiro de origem ilícita, Cunha quer que a oposição o proteja da cassação, em troca do que promete manipular o processo de impeachment e cassar o mandato legítimo da presidenta Dilma.

 

Entendemos que se trata de um verdadeiro que afronta a democracia, a legalidade e a soberania do voto popular. Os que pretendem substituir Dilma Rousseff devem disputar as próximas eleições presidenciais, em 2018. É isto que pensam aqueles setores da oposição que também são contrários ao impeachment.

 

Queremos uma política econômica que retome e aprofunde o legado de conquistas sociais, promova a retomada do desenvolvimento, da distribuição de renda, da geração de emprego e da inclusão social.

 

Este é um momento de unidade de todo o povo, das forças democráticas, progressistas, na intransigente luta pelas conquistas democráticas. Conclamamos a presidenta Dilma a convocar o povo brasileiro a defender seu mandato, com este objetivo: retomar o programa vitorioso nas eleições presidenciais de 2014.

 

A decisão sobre o impeachment será tomada, ao longo das próximas semanas, pelo plenário da Câmara dos Deputados.

 

Para derrotar os golpistas, apoiar os democratas convictos e convencer os indecisos, a Frente Brasil Popular conclama cada brasileiro e cada brasileira a se engajar na jornada nacional de lutas Em defesa da democracia, Não vai ter golpe.

 

Contra o golpe, em defesa da democracia!

Fora Cunha!

Por uma nova política econômica!

 

São paulo 7 de dezembro de 2015

Coletivo nacional dos 66 movimentos populares, pastorais e partidos politicos

Nota: Conclamamos a todos se mobilizarem em atos de massa nos estados, e na mobilização nacional programada para dia 16 de dezembro de 2015

 

Atualizado em 10/12/2015