; Presidente da Fenafar é eleito para presidir o Conselho Nacional de Saúde

Sidebar

Magazine menu

17
Dom, Nov
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 43

Quarta, 16 Dezembro 2015 17:49

Presidente da Fenafar é eleito para presidir o Conselho Nacional de Saúde

Avalie este item
(0 votos)

Ronald e Lorena Baía
Nesta quarta-feira, 16, o presidente da Fenafar, Ronald Ferreira dos Santos, foi eleito para presidir o Conselho Nacional de Saúde pelos próximos 3 anos. Candidato único, Ronald teve 42 dos 48 votos válidos.

 

Ao apresentar a sua candidatura, Ronald apontou as linhas que considera fundamentais serem reforçadas para manter e ampliar o protagonismo do CNS na luta em defesa da saúde, pública. Ele citou que o Conselho precisa “ser independente de corporações, de partidos políticos, de empresários e de governo, senão não joga papel. Um conselho que tenha condições de trabalhar a unidade”.

 

Assista ao discuro do novo presidente do CNS após a sua eleição.

 

 

 

Para Socorro de Souza, representante da Contag e presidente do Conselho no período de 2012 a 2015, “a eleição do CNS mostrou muita maturidade política”.

 

Inicialmente foram apresentadas candidaturas por segumentos, dos usuários, trabalhadores e gestores. “Mas todos tiveram a grandeza de construir a unidade em torno do Ronald Ferreira, que já é membro da mesa diretora e teve um desempenho importante olhando o papel, a tarefa que o conselho terá nos próximos 3 anos, nesta conjuntura política em que precisamos nos posicionar em defesa do SUS e do direito universal a Saúde. Temos que ter uma estratégia para dentro do Congresso Nacional, onde temos as pautas mais ameaçadoras do direito universal e da desconstruçao do SUS, mas que precisa ter pautas que avançem em torno de temas estruturantes como financiamento, carreira para os trabalhadores da saúde, e a pauta da ciência e tecnologia que no atual momento é fundamental para o Brasil enfrentar uma de suas mais graves epidemias que é a microencefalia”, avalia Socorro.

 

Na sua avaliação, o CNS e o controle social saem fortalecidos deste processo, pela “demonstração de grandeza e maturidade política onde o Estado de Direito e a defesa da democracia em torno da bandeira do SUS é o que precisa prevalecer. É um voto de confiança e que vai consolidando uma concepção de fazer controle social na esfera da saúde, sem ser corparativo e voltado ao máximo possível para o interesse público, coletivo, e também de enfrentamento dos agrupamentos e interesses que mais se contrapõem a esta construção. Eu saio muito feliz, porque é uma continuidade do mandato que nós construímos nos últimos três anos. Eu me sinto representada pelo Ronald”, concluiu Socorro.

 

Sobre o novo presidente do CNS

 

Ronald é farmacêutico do Centro de Informações Toxicológicas de Santa Catarina, Assessor Técnico do Conselho Regional de Farmácia de Santa Catarina, Conselheiro Nacional de Saúde.

 

Formou-se em 1993 pela Universidade Federal de Santa Catarina. É mestre em Farmácia pela mesma instituição. Iniciou sua militância no movimento estudantil de Farmácia, como diretor de Biomédicas da União Nacional de Estudantes –UNE. Após concluir a graduação em Farmácia, ingressou no movimento sindical, onde presidiu o Sindicato dos Farmacêuticos de Santa Catarina. É coordenador nacional do Movimento em Defesa da Saúde Pública – Saúde +10.

 

Na gestão do Conselho Nacional de Saúde que se encerrou, Ronald compunha a mesa diretora do CNS e coordenava o grupo de trabalho sobre financiamento da Saúde.

 

Da redação com colaboração de Dalmare Anderson de Sá
Publicado em 16/12/2015