; PE: Audiência de conciliação sobre dissídio do Sincofarma será dia 13 de fevereiro - Fenafar

PE: Audiência de conciliação sobre dissídio do Sincofarma será dia 13 de fevereiro

Fenafar e Sindicato em ação

A primeira audiência de conciliação do dissídio referente à CCT 2016/2017, entre o Sindicato dos Farmacêuticos no Estado de Pernambuco (Sifarpe) e o Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos (Sincofarma-PE), não foi concluída pela presidente do Tribunal Regional do Trabalho, da 6ª Região, desembargadora Gisane Barbosa de Araújo, na tarde desta quinta-feira, 02. Após ouvir as partes, primeiro em conjunto, depois individualmente, a magistrada decidiu suspender os trabalhos e remarcar uma nova data para a continuidade das tratativas. A próxima conciliação ficou agendada para dia 13 de fevereiro, às 13h, no Pleno do TRT6.

 

Como a desembargadora está deixando o cargo, a próxima audiência será presidida pelo desembargador Valdir José Silva de Carvalho, que tomará posse como presidente da casa, nesta sexta-feira, 03. A suspensão aconteceu porque nenhuma das partes chegou a um consenso. O patronato manteve a proposta e insistiu na retirada da palavra ‘máxima’ do texto que estabelece a carga horária máxima de 30 horas para os profissionais no Estado. O argumento usado foi de que esta cláusula, como está escrita, engessa a possibilidade de adotar outras cargas horárias pelos patrões. Sem a condição de flexibilizar as jornadas, o patronato não quer acordo.

A presidente do Sinfarpe, Veridiana Ribeiro, rebateu a justificativa e disse que não é a flexibilização das cargas que ‘engessa’ a negociação, e sim, os salários oferecidos para cada jornada, assunto amplamente discutido entre os dois sindicatos nas cinco reuniões de negociação realizadas e nas três audiências de mediação ocorridas na Procuradoria Regional do Trabalho (PRT), desde o início da campanha salarial da categoria no ano passado. As negociações começaram antes de maio de 2016, data-base dos farmacêuticos do setor.

“A oferta de salários não condizentes com as jornadas de trabalho é o que não aceitamos e jamais vamos concordar”, enfatizou Veridiana. Para o dia 13, ela pede que os farmacêuticos compareçam a audiência e mostre ao patronato que não aceita o posicionamento dele. Na audiência desta quinta-feira, participaram da reunião em particular com a desembargadora, além da presidente do sindicato, os assessores jurídicos da entidade sindical, José Leniro e Josenildo Araújo, os farmacêuticos Leonardo Barros, Flávio Costa e Holdack Veloso, e os representantes do Conselho Regional de Farmácia (CRF-PE), Gisêlda Lemos (presidente) e Bráulio César (conselheiro federal). A vice-presidente do CRF-PE, Joyce Nunes, também marcou presença na audiência.

Fonte: Sinfarpe
Publicado em 03/02/2017

 

Artigos