; SAF aprova questionário criado por diretor do Sinfarmig que beneficiará profissionais do Farmácia de Todos - Fenafar

SAF aprova questionário criado por diretor do Sinfarmig que beneficiará profissionais do Farmácia de Todos

Fenafar e Sindicato em ação
Tipo de Grafia

A Superintendência de Assistência Farmacêutica (SAF) enviou questionário a mais de 800 profissionais que atuam no Programa Farmácia de Todos da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

 

A ideia do questionário partiu do farmacêutico e Diretor do Sindicato dos Farmacêuticos de Minas Gerais (Sinfarmig) na Regional Norte de Minas, Patrick Brito. O projeto foi apresentado e aprovado em reunião entre SAF, SINFARMIG, Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS) e Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais (CRF-MG). A expectativa é que os farmacêuticos das unidades do Programa respondam ao questionário.

O objetivo do questionário é trazer informações atualizadas sobre a remuneração dos farmacêuticos municipais, a permanência deles nas cidades e também as formas de contratação utilizadas por cada gestão municipal.

A SAF abraçou a iniciativa e ampliou as questões, submetendo-o à avaliação das entidades parceiras para sugestões. Em seguida ele foi disparado para as Regionais de Saúde da SES-MG para ser replicado aos municípios do seu território de abrangência.

Essas informações subsidiarão as discussões entre a SAF/SES-MG, COSEMS, SINFARMIG e CRF-MG na busca por um alinhamento entre a destinação do recurso disponibilizado pela SES-MG e a utilização dada pelos municípios no trabalho de valorização do farmacêutico na execução do Programa.

O Sinfarmig entende que esta pesquisa é da maior relevância, pois certamente irá contribuir para o resgate de uma das maiores estratégias, além de grande objetivo que é o repasse de incentivo financeiro aos profissionais no apoio a fixação do profissional nas farmácias dos municípios em Minas Gerais. O Estado possui 853 municípios, sendo 477 deles com menos de 10.000 habitantes.

Como previsto no Farmácia de Todos, o momento é de avançar em uma Política de Assistência Farmacêutica para além do insumo. É preciso ter o profissional engajado e atuando na qualificação desta assistência com implementação da atenção farmacêutica, acompanhamento farmacoterapêutico dos pacientes, implementação dos cuidados farmacêuticos, intervenções no campo da farmacoeconomia, Enfim, ações que já possuem previsão legal (Lei 13.021/14) e que precisam ser efetivadas.

No entanto, só é possível implementar se houver farmacêuticos nestas Unidades de Farmácia. Para que os profissionais estejam nestes estabelecimentos é preciso remunerar de modo digno, caso contrário, a insatisfação manterá a alta rotatividade que predomina nas farmácias públicas dos municípios mineiros.

“É bom lembrar que em 2017 cerca de 70% das prefeituras de Minas estarão com novos gestores e nós que desde o início desse Programa defendemos intransigentemente o repasse do incentivo ao farmacêutico desejamos permanecer nessa parceria com a SAF/SES e o CRF-MG. Faremos de tudo para que esta proposição se concretize e a definição aconteça o mais rápido possível e de forma definitiva”, ressaltou a diretora do Sinfarmig Júnia Lélis.

Fonte: Sinfarmig
Publicado em 31/10/16

Artigos

UA-480112034-1