; Durante plenária, CTB São Paulo define agenda de lutas para o mês de novembro - Fenafar

Durante plenária, CTB São Paulo define agenda de lutas para o mês de novembro

Movimento Social
Tipo de Grafia

Na tarde desta quinta-feira (3), sindicalistas de diversas categorias se reuniram na sede do Sindicato dos Marceneiros em São Paulo para dar encaminhamento à jornada de luta da classe trabalhadora contra a perda de direitos.

 

Após análise de conjuntura política feita pelo vice-presidente da CTB, Nivaldo Santana, definiu-se uma agenda de mobilização para a próxima semana.

Na mesma linha, o presidente nacional da Central, Adilson Araújo, destacou a necessidade da resistência do movimento sindical diante da ameaça que a Reforma trabalhista proposta pelo governo golpista traz para a população. “Há em curso um projeto de desconstrução do Estado Nacional”, disse Araújo.

Segundo ele a tomada de posição, por parte do Supremo Tribunal Federal “fatia por completo a Reforma trabalhista”, alertou o sindicalista.

O presidente da CTB, exemplificou a complexidade deste momento para os trabalhadores e trabalhadoras com a medida que estabelece o fim do direito à greve do servidor público (linkar matéria).

Mobilização total

O presidente Central dos trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil no estado de São Paulo (CTB-SP), Onofre Gonçalves, convocou todos os presidentes e dirigentes das federações do setor de transporte a participarem. "Todos às ruas cem defesa dos direitos", frisou.

“Metroviários, ferroviários, motoristas, entre outras, são fundamentais para o sucesso da mobilização, só assim podemos parar o País contra esses ataques aos direitos trabalhistas”, afirmou Onofre Gonçalves, presidente da CTB São Paulo”, destacou o dirigente que também é metroviário.

Confira a agenda:

Dia 8/11, às 10h na Quadra dos Bancários - Plenária Nacional do Transporte;

Dia 9/11 - Virgília na frente do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, em Brasília, contra a terceirização e precarização do mundo do trabalho;

Dia 11/11, concentração às 15h, na frente do Masp, na Avenida Paulista - Dia Nacional de Paralisações contra a PEC 241 (agora no Senado como PEC 55) e contra as reformas da Previdência e Trabalhista - A organização informa que a mobilização, em conjunto com as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, saíra em passeata até a Praça da Sé

Fonte: CTB
Publicado em 04/11/2016

Artigos