; Fenafar e Sindfac realizam curso de formação sindical - Fenafar

Sidebar

1

Fenafar e Sindfac realizam curso de formação sindical

Fenafar e Sindicato em ação

Aconteceu nos dias 10 e 11 de março em Rio Branco, no Acre, o Curso de Formação Sindical promovido pela Fenafar em parceria com o Centro de Estudos Sindicais (CES) e o Sindicato dos Farmacêuticos do Acre.

A iniciativa integra os esforços da Fenafar para levar aos seus sindicatos filiados debates sobre o movimento sindical, trabalho, direitos trabalhistas e qualificar os dirigentes sindicais para realizar as negociações com o setor patronal, objetivando conquistar mais direitos para a categoria e valorizar a profissão farmacêutica.

Na opinião de Isabela Sobrinho, diretora de Assuntos Jurídicos da Fenafar, “o curso contribuiu para aprimorar a diretoria e mostrar a importância de estarmos sempre nos atualizando e buscando nos qualificar”.

Cecila e Isabela no curso de formação do AcreMinistrado pelo CES, o curso contou com as aulas sobre: “Origem e História do movimento sindical brasileiro” e “Concepções Sindicais” ministradas pelo professor Renato Bastos.

Na manhã de sábado, 11, o farmacêutico Marco Aurélio Pereira falou sobre Relações de Trabalho na profissão farmacêutica (negociação, acordos e convenções coletivas). Para fechar a programação o assessor da Fenafar, Adelir Veiga e o professor Renato Bastos falaram sobre Políticas Assistenciais. No final foi feita uma avaliação com entrega de certificados e encerramento do curso.

A diretora regional Norte da Fenafar, Cecília Mota fez uma fala no encontro destacando o papel da Federação, que tem 43 anos de luta em defesa da categoria farmacêutica e dos direitos trabalhistas. “A nossa luta hoje é para impedir que tirem nossos direitos. Se os trabalhadores não se mobilizarem para defender seus direitos, vamos voltar a era pré Getúlio Vargas. Por isso nós temos que ir para a rua para impedir que eles acabem com a Reforma da Previdência. Nós temos que convencer os nossos colegas e amigos para se juntar a nós, para participar do sindicato e lutar pelos nossos direitos.”

Da redação
Publicado em 14/03/2017

UA-480112034-1