; Fenafar vai ao Mato Grosso do Sul defender interesses da categoria - Fenafar

Sidebar

1

Fenafar vai ao Mato Grosso do Sul defender interesses da categoria

Fenafar e Sindicato em ação

A Federação Nacional dos Farmacêuticos esteve nesta sexta-feira, 20/04, em Campo Grande a pedido de um grupo de farmacêuticos para auxiliar na luta em defesa da liberdade sindical e dos direitos da categoria.

Representada pelo vice-presidente, Fábio Basílio, e pelo assessor jurídico, o advogado Leocir Costa, a Fenafar foi ao Estado atender ao chamado de um grupo de farmacêuticos – que atuam nas mais diversas áreas – para ajudar na ação que pede a anulação da última eleição do sindicato.

O farmacêutico Marcos Rodrigues, que trabalha no serviço público municipal, é um dos proponentes da ação. “Nós estamos tentando nos filiar ao Sindicato desde 2013, porque nós precisamos do sindicato do nosso lado. A nossa força vem do sindicato. Mas nós não conseguimos obter filiação”, conta.

Márcia Saldanha, farmacêutica que atua no serviço público estadual, relata alguns dos problemas que a categoria tem enfrentado, como a impossibilidade de filiação, a falta de transparência do processo eleitoral, e das negociações salariais. “Entramos com uma ação solicitando o cancelamento do último processo eleitoral e estamos tentando nomear uma junta interventora”.

O vice-presidente da Fenafar, Fábio Basílio, explica que a “Fenafar foi procurada pelos farmacêuticos sul-mato-grossenses para ajudar a buscar caminhos de garantir uma ampla representação sindical. A atual direção do sindicato dos farmacêuticos do Mato Grosso do Sul não negocia de acordo com as decisões das assembleias e está omisso e ausente das lutas em defesa da categoria. No Estado só há convenção coletiva para o comércio varejista, a categoria que atua em outras áreas não têm nenhum tipo de convenção ou acordo negociado. Neste sentido, a Fenafar foi chamada para ajudar”.

O advogado Leocir Costa, que esteve em Campo Grande, analisou os processos e fala sobre as irregularidades encontradas. “O sindicato tem se negado a receber novas filiações e adotou essa postura no último processo eleitoral, impedindo que um setor da categoria pudesse participar da eleição do sindicato, ferindo o princípio da liberdade sindical. Analisamos o processo e identificamos uma série de irregularidades: não tem ata registrada, não tem convocação ampla e pública, entre outras. Os farmacêuticos entraram com uma ação questionando essas irregularidades, vamos acompanhar e a sentença está marcada para daqui a 30 dias”.

Marcos Rodrigues diz que a luta deste grupo de farmacêuticos é para fortalecer o sindicato e colocar a entidade para lutar em defesa da categoria. “As nossas ações contra a prefeitura não tiveram êxito e a atual gestão do sindicato não nos deu apoio na nossa luta. Então buscamos a Fenafar que tem dado todo o apoio necessário e a nossa ação tem caminhado. Nós somos um grupo com vários seguimentos, eu que trabalho na prefeitura, farmacêuticos que atuam no Estado, nos laboratórios, nos hospitais, esperamos que com isso a gente possa tornar o sindicato mais forte e mais unido em prol da categoria”, afirmou.

“Só temos a agradecer pelo apoio da Fenafar para recuperar o protagonismo do sindicato para lutar em defesa da categoria e da valorização profissional”, disse Márcia Saldanha.

O vice-presidente da Fenafar, Fábio Basílio, reitera que luta em defesa da categoria é o compromisso da Fenafar. “Viemos para cá manter o compromisso da Fenafar de lutar em defesa da categoria onde quer que seja. Onde houver um farmacêutico, a Fenafar estará presente. Então viemos ao Mato Grosso do Sul e participamos da audiência, estamos orientando sobre o que deve ser feito daqui para a frente. Há um grupo de profissionais bastante unido e acreditamos que junto com a Fenafar esses farmacêuticos conseguirão reerguer o sindicato para lutar pelos direitos da categoria”.

Da redação
Publicado em 23/04/2018

UA-480112034-1