; CNS e Grito dos excluídos: pela Saúde Pública e uma sociedade igualitária - Fenafar

CNS e Grito dos excluídos: pela Saúde Pública e uma sociedade igualitária

Movimento Social

Em defesa da vida e da saúde pública e pela construção de uma sociedade justa e igualitária, o Conselho Nacional de Saúde (CNS) apoia a 24ª edição do Grito dos Excluídos, que será realizada no dia 7 de setembro, tradicional Dia da Independência e também a data que marca as manifestações e atos do movimento em todo o Brasil.

Com o tema central “Vida em Primeiro Lugar” e o lema: “A Desigualdade gera Violência: Chega de Privilégios”, o movimento nacional deverá levar milhares de pessoas às ruas. O objetivo do Grito dos Excluídos é ocupar os espaços públicos e exigir do Estado a garantia do acesso e a universalização dos direitos básicos, como educação, segurança pública, saúde, transporte, alimentação saudável, saneamento básico e moradia.

“É fundamental somar nossos esforços e fortalecer a luta em defesa da democracia, da saúde e de uma sociedade menos desigual”, afirma o presidente do Conselho, Ronald dos Santos, ao convocar a população para participar das manifestações. “Precisamos também de ampla participação dos conselhos estaduais e municipais de saúde nesta edição do Grito dos Excluídos, que também denuncia o desmonte do SUS”, completa.

Em julho, o CNS se reuniu com a coordenação do Grito dos Excluídos no 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva (Abrascão), no Rio de Janeiro. O encontrou contou com a participação de conselheiros de saúde e diversos atores sociais em defesa do SUS, que se uniram para a mobilização da 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª + 8). O maior evento de participação social do Brasil será realizado em julho de 2019.

A 16ª conferência tem como eixos temáticos Saúde como Direito, Consolidação do SUS e Financiamento Adequado. Ela também chamada de 8ª + 8 como um resgate à memória da 8ª Conferência Nacional de Saúde, realizada em 1986, considerada histórica por ter sido um marco para a democracia participativa e para a criação do SUS.

O Grito

O Grito dos Excluídos é uma manifestação popular que integra pessoas, grupos, entidades, igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas dos excluídos. Surgiu em 1994, a partir do processo da 2ª Semana Social Brasileira, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cujo tema era Brasil, alternativas e protagonistas, inspirada na Campanha da Fraternidade de 1995, e lema: A fraternidade e os excluídos.

O primeiro Grito dos Excluídos foi realizado em 1995 e, desde então, ocorre todos os anos no dia 7 de setembro, como um contraponto ao Grito da Independência. O Grito dos Excluídos é um espaço aberto para denúncias sobre as mais variadas formas de exclusão, com a finalidade de defender a vida dos excluídos e excluídas e assegurar os seus direitos e vozes.

Comunidades de todo o país já se preparam para a 24ª edição. Na quinta-feira (30/08) será realizada a Coletiva Nacional do Grito dos Excluídos, na CNBB Regional Sul 1, localizada na Rua Conselheiro Ramalho, 726, Bela Vista, São Paulo (SP). Mais informações pelo telefone (11) 2272-0627.

Fonte: SUSConecta
Foto: #PraCegoVer – Cartaz do 24º Grito dos Excluídos, de autoria do artista plástico Nivalmir Santana. Segundo o autor, o cartaz retrata a união dos marginalizados e do povo sofrido que luta por vida mais digna. A ilustração apresenta pessoas caminhando em direção ao sol. “Esse povo unido caminha para o sol, que ilumina todas as classes. O sol para o qual esse povo se volta é Cristo, que pela Páscoa dissipa todas as trevas e clareia todas as coisas. A força da mulher como figura principal, como geradora da vida, que une as forças e luta com o povo sofrido, especialmente na atual conjuntura que vive o povo brasileiro.”

Publicado em 30/08/2018

 cp logo RGB

Artigos

UA-480112034-1